A você que, você acaba de Nutrição Humana e Dietética (discurso de fim de curso)

Há poucos dias, a Universidade de Alicante, quis dar voz a muitas das questões discutidas neste blog me convidando para dar o discurso de fim de curso de Nutrição Humana e Dietética, o que tradicionalmente se conhecia como “aula magistral”.

Sinceramente, é um dos maiores honras que pude fazer foi a minha casa e onde me iniciei os estudos desta disciplina. Mas, sobretudo, eu tenho que agradecer o esforço dos alunos de último ano por ter-me e por ter tido a ousadia e deferência de me convidar para que pudesse dedicar-lhes algumas palavras.

A mensagem que queria dar o tinha muito claro, e agora que está disponível o vídeo da formatura acho que é uma boa ideia compartilhar essas palavras se talvez a outros futuros profissionais e parceiros lhes pode ser útil.

Após isso, toma a palavra o meu já companheira NostalgiaAlimentaria, que é o exemplo vivo da idéia de misturar paixões. Pena que ao terminar o ato pudesse compartilhar apenas algumas horas de tempo com as pessoas de que é praticamente a minha casa, e assistir a apenas um jantar, mas é um prazer voltar a esse maravilhoso campus e faculdade.

Obrigado por fazer me sentir que as futuras gerações serão melhor do que as atuais!

As palavras escritas previstas no discurso, e ligeiramente modificadas na intervenção foram as seguintes:

Em vão permetre que parle em castellà, que sóc d’Évora i o! ens ix amb um accent última reserva: rar no canal da Mancha i séria última reserva: graciós”

Porque outra vez por aqui! Faz nada eu estava aqui, em terno e gravata. Eu juro.Minha mãe, entre o público, eu aqui com mais cabelo.

E comecei a dizer coisas aos meus colegas, coisas muito bonitas, pensamentos preciosos desejos para o futuro… eu Me lembro que no meu promoção citamos o direito de sonhar, de Eduardo Galeano, esse direito que não está consagrado na nossa declaração universal de direitos humanos… Foi um dia muito legal, de reflexão, de celebração e esse também vai ser o vosso dia ótimo.

Em suma, éramos jovens que esperavam que acontecerem coisas. Algumas foram cumpridas, outras pioraram, e algumas continuam em nosso país.

A crise que esse ano estava começando e não quer ir ainda.
Nossa profissão ainda não é tão reconhecida como merece.
Eduardo Galeano já não sonha, está morto.

Mas, tudo continua, e parece que está melhor.

A alimentação é um dos temas que mais preocupam a sociedade.

Esta universidade já tem vários D-N como professores, excelentes profissionais, por certo. Parabéns à Universidade por ter incorporado a D-e N) professores! Eu não tive a sorte de ter a nenhum que fosse. Eu vo-lo merecíais!

E o melhor de tudo, a cada ano somos mais, melhor treinados, mais comunicados entre nós, mas acima de tudo, com mais ferramentas ao nosso alcance.

Os nutris de hoje tendes muitas mais oportunidades e fontes de informação que, quando saímos daqui, em 2009, em plena crise.

Se nós conseguimos, vocês de rua. Porque agora temos tudo a nosso favor.E direis? A favor para que?

Para conseguir o emprego? Para ter sucesso? Para ter sucesso? Como fazer? Para ganhar a vida? Não, não, não. Isso vai depender de outros fatores.

O que temos a nosso favor hoje, é a possibilidade de ajudar as pessoas de uma forma diferente da que poderiam ontem.

E será, então, quando iniciamos a fazer isso: ajudar, colaborar. O que vos levará de maneira indireta, ao trabalho, ao sucesso, à tranqüilidade, ou whatever you want.

Como você pode ajudar as pessoas sendo D-N? Pois, como mais gostares.

Em uma consulta, uma clínica, um equipamento desportivo, uma empresa do sector alimentar, divulgando ao seu redor, formando as pessoas… o que quer que seja, mas que ajude. E que ponha em valor o vosso conhecimento e a vossa capacidade de mudar as coisas.

O melhor não sabemos ainda ou temos que tomar consciência, mas nós somos a profissão da saúde que, agora mesmo, mais pode mudar o paradigma da saúde e da saúde em nosso país. Não estou exagerando. Olhai para as famílias e amigos

Estamos em uma situação em que as pessoas não “morre” como há muito tempo: As pessoas hoje se mata a si mesma, com os maus hábitos: fumando, bebendo, não se movendo, comendo coisas que são comestíveis, mas não são comida.E é a outra metade da gente que matamos com ignorándola e com as nossas omissões, com a pobreza, com a desigualdade. A maioria das mortes são evitáveis, com decisões.

Hoje, apenas temos problemas nutricionais. Não são problemas de saúde. São conseqüências de problemas humanos, sociais. Metade do planeta doente com sua opulência, enquanto a outra metade a empurramos a desnutrição.

Temos líderes que falharam, como seres humanos, porque permitem, por um lado, que seus cidadãos caiam doentes, com uma publicidade que campa à vontade, com cerca de produtos alimentares e de descartáveis, com uma saúde deficiente em nutrição… E quando deixamos de fome ao Sul do planeta.

Mas a nossa profissão, é capaz de mudar as coisas, porque é uma profissão da saúde que empodera, que é capaz só de tratar patologias, ou de evitá-las… mas de mudar vidas, alterar as famílias, ambientes, ambientes… e transformá-los saudáveis.

Não há nada mais eficaz do que educar as pessoas para que tomem as rédeas de sua vida. Essa é a intervenção de saúde mais eficiente que existe, por cada 1€ investido em um D-N que ensine hábitos alimentares, o sistema é capaz de economizar 40€ no desenvolvimento de patologias associadas.

Se tão mal vamos de fundos de caixa, deixemos de tomar medidas cortomiristas e que nos preocupemos com a saúde das pessoas e porque elas são capazes de seguir uma vida saudável.

Precisamos chegar antes da doença. Não só pelo dinheiro, mas pelo bem-estar de nossa gente, de sua família, de seus amigos.

Não podemos oferecer como única resposta pastilhas dadas mal e tarde, ou uma dieta de gaveta sem ensinar bons hábitos. Assim não. Para isso não há necessidade de ser uma eminência em Saúde. Apenas senso comum. Daí que você vai ser cruciais, e precisamos D-N muito bem formados.

Vos vão dizer que nunca vos deixeis de fazer. Isso é verdade, mas não toda a formação da vida é seguir com mestrado ou com outras corridas, porque eu não sei o que fazer. A formação humana é mais importante ainda, porque trabalhamos com pessoas.

Também vos vão dizer que disponham-se a seguir. Isso é verdade, é importante participar e desenvolver projetos pessoais. Mas não nos enganem, o empreendimento não pode ser a desculpa nem o eufemismo de “localize-se as castanhas”. Porque um estado e os políticos têm a responsabilidade de nos oferecer um futuro digno.

Não falamos de um trabalho bem pago, ou de saídas profissionais para a carta. Falamos de dignidade. Coisa que está caindo bastante no que tomam as decisões em nosso país.

A nossa geração, (em espanhol, estou muito orgulhoso de ser um passado) foi-nos dito desde que éramos pequenos, desde o instituto. “Estuda algo que tenha saídas”

“Sorria, seja bom, pórtate bem, espera seu momento, se você pode sonhar você pode fazer. A vida lhe recompensará com trabalho, riqueza, amor e muito sexo. Ao final você terá o que merece” E não! A vida não é uma frase de Coelho, uma xícara de Mr Wonderful, nem um anúncio de Evax. Normalmente as coisas que você tem que currárselas, olhai para a vossa família, e perguntar se não é o curran dia-a-dia.

Muito poucas pessoas são felizes por sorte. Normalmente envolve muito esforço, muito repensar, e muitas decisões.

“Faça alguma coisa que tenha saídas” Que palavra mais feia. “Saída de trabalho”, como se fosse um limbo, um incêndio, uma incerteza que há que resolver em breve.

A situação que vivem manhã, não há que “dar partida”, tem que aproveitar, especialmente porque tem a opção de escolher. Que privilégio poder escolher! E o que é importante escolher bem.

E se vós errais muito não acontece nada. Todos estamos certos, e muito. Você você dedicou um ano a um trabalho que não gosta? Pois bem, isso que agora tem a certeza de já aprendeu. O que você tem feito um mestrado que se valeu de pouco? Pois bem, isso que você ganha, você já conheci pessoas, você aprendeu a investigar e mais titulitis… será Um ano estudando inglês e fazendo estágio? Ótimo, porque você pode ir fora. Ou por que não os que haveis começado mais tarde?

Nunca é tarde! Mudar a sua vida aos 30, estudar outra carreira aos 40.

Onde está escrito que você tem que concatenar os estudos, ano após ano, sem tempo, ou sem mudar o rumo? Vão ter muitas dúvidas, é normal. Eu ao terminar, fiz um mestrado, porque tinha medo de sair. E ao terminar o curso, voltei para Alicante, a adaptar-se ao grau de bacharel. Para quê? Porque eu não sabia o que fazer. E ao terminar, pois a continuar estudando… porque não estava nada claro. Mais coisas para pendurar na parede. E daí?

Hoje me dou conta, de que o mais importante é que, pelo menos, nunca deixei de fazer as outras pequenas coisas, o que me apasionaba.

Eu não gosto de recorrer muito com as experiências pessoais. Porque você tem que levá-los com muita cautela. Já sabeis que os estudos com N=1, não são muito extrapolables. Assim que tomároslo como uma abordagem diferente.

Toda a vida foi-nos dito que temos que estudar o que tem saída. Focalizar os estudos, não ter distrações…

Se eu hoje tivesse seguido esses conselhos, não teria a duas coisas que mais deram sentido à minha atividade atual: o Meu voluntariado nos escuteiros e abrir um blog

Durante a corrida eu passei todos os fins-de-semana, voltando a Albacete, para estar com os meus a no meu grupo escoteiro. 10 fins de semana em toda a carreira em Sant Vicent. Menos mal que minha mãe nunca me disse deixe-se de asneiras e concentre-se! Porque ela sabia que não estava perdendo tempo, que essa era a minha outra universidade.

E mais tarde, em 2010, decidi em um cabreo monumental com a vida, e com a universidade abrir o blog de Minha Dieta Manca, no pior momento possível. Justo quando mais coisas estava estudando depois da corrida e mais carga de trabalho tinha em actividades de voluntariado.

E as minhas companheiras de apartamento não me disseram nunca “isso é uma perda de tempo” ponte com o que importa. O que importa, o que nos torna diferentes, quase nunca aparece no Currículo. Fazer o que me apasionaba era o que me permitia continuar nesse ritmo.

Mas se as tivesse deixado, agora teria apenas títulos, mas não seria eu. As pessoas não somos méritos, conquistas, prémios extraordinários nem diplomas. Somos o que há por trás, os nossos valores e o que somos capazes de fazer. Não deixeis nunca as coisas que os definem.

Sois algo mais que graduados em NHyD, sois atletas, voluntários, leitores, tocáis um instumento, amais o cinema, gosta de fotografia, bailáis ou fazeis simplesmente algo que vos amo. Tentem unir o que vos amo com a nutrição, se é que não é a nutrição, o que os torna loucos. Eu na corrida não estava apaixonado pela nutrição. Me encantei com o pincel, com o contato. Contándola. Dei-Me conta de que o que me convinha era contá-lo.

Sinto-Me identificado com essa frase de Carl Sagan, provavelmente, o melhor divulgador científico que houve que diz: “Depois de tudo, quando você está apaixonado, quer contar a todo o mundo. Por isso, a idéia de que os cientistas não falam em público da ciência me parece aberrante”

Não sabe o que é o sucesso do trabalho. O que sei é que as horas me esfuman trabalhando, perco a noção do tempo. Faz-me de noite fazendo o que eu amo.

Eu não sei se eu ganhar muito ou pouco. Não sei se tenho boa ou má consideração. Não sei se tenho muito poder ou pouco.

Só sei que nem nos meus melhores prognósticos eu me via a mim mesmo, com a sensação de não trabalhar, mas de desfrutar. Se eu tivesse que dar uma mensagem é essa.

Tentem procurar algo que não tenha saída, mas que vos apasione porque o fareis felizes e com excelência. Hoje estais a tempo de escolher, e em 10 anos também vão estar.

A partir de amanhã vos vão persuadir, vos vão seduzir porque sois pessoal de saúde. Aparecerão em sua vida pessoas e projetos carrapato, que querem aproveitar. E tendes que ser conscientes que

Vender coisas que não funcionam NÃO é sucesso.
Colocar dietas milagre NÃO é triunfar.
Enganar as pessoas NÃO é ganhar a vida.
Vale a pena, muito mais do que isso. Não vos rebajéis dessa forma. Não deixeis que vos explodir. Não precaricéis vosso trabalho. Cada ofensa de trabalho que vontade soberana é um sucesso para a profissão, e nos coloca em valor, nem mais, nem menos, apenas o correspondente.

Se você olha ao seu redor. Na vossa formação foram investidos muitos recursos e esperanças. Horas de seu corpo docente, dinheiro e esforço de vossos familiares. Fazei com que se sintam orgulhosos de tudo quanto fazeis. Famílias não deixeis nem invitéis a que se rebajen, eu sei que é duro. Encontrar um emprego o quanto antes é hoje em dia uma prioridade. Mas a prioridade é que os vossos filhos e filhas sejam pessoas íntegras e vos sintáis orgulho do que estão fazendo.

Uma coisa é começar humildemente a partir de baixo, e outra é vender os vossos valores. Não vendáis vossos valores, é o mais caro do que tendes.

Alguém pode estar pensando, ” bom “Isso você pode dizer que tu tem emprego, não se foder” mas, na verdade, não é AGORA que o digo, mas desde sempre.

E acredito que é esse foco, o que hoje permite ser feliz com a nutrição.

Vos tenho a dizer uma coisa para as famílias. Dai-lhes espaço. Dai-lhes tempo, que se esclarecer, porque não sabemos o que fazer. Agora que não nos ouvem, não temos nem ideia de fazer dietas, quando saímos.

Agora, eles precisam encontrar-se, sair do loop, por isso, fazemos coisas por inércia, e por medo. Muitas vezes não tomamos as melhores decisões, porque nos foi construído um medo irreal. Mas a vida lhes vai estar esperando por um, dois, três anos… e aí, vos vão precisar mais do que nunca. Deixai que se vão, de casa, ou fora do país. Que mudem.

Se não o fazem agora pode perder a experiência de viver algo incomparável. Não se preocupe, os que fomos ao estrangeiro, voltamos, e se você decidir não voltar, acreditem, é porque fora encontramos a peça que faltava.

Ao corpo docente: Sei que os professores não estamos em uma situação confortável. Que só temos obstáculos. Mas em nossas mãos temos projetos de vida.

Esta gente merece esse esforço para atualizar-me, por estar ao dia, por ser humilde, reconhecer erros, por nos concentrar nas suas preocupações… estamos Todos aqui por culpa de nossos docentes. Professores de verdade. Educadores. Temos um compromisso e uma responsabilidade, e é o de ser fonte de inspiração, a não ser pessoas que lêem power points ou recitam textos copiados em sala de aula. Guttenberg inventou a imprensa, e temos de fotocópias.

Graças à universidade de Coimbra por ter feito um exercício de reflexão e estar ciente de que não há educação que pode marcar tanto o povo como o outro D-N falando de tu a tu.

E aos meus futuros colegas, Nutricionistas-Nutricionistas: As coisas mais úteis para o seu desempenho profissional não conheceis nem aprendi ainda. Amanhã é o momento para se deixar as desculpas em casa. E não patalear pela intromissão, porque não somos reconhecidos, ou porque eu não tenho lugares em saúde. Amanhã é o dia para conquistar essas conquistas. Já os desfrutaremos mais tarde.

Os profissionais de hoje, sempre usamos as pontes que outros colegas antes construíram para nós. Não tem que ser o mais pronto, nem os mais bonitos, ou os que ganéis mais massa… Não procureis ser modelos profissionais, mas modelos de pessoas.

Simplesmente ser melhores do que ontem, de deixar o ambiente melhor de como o encontraram. O reconhecimento da profissão não se espera. Se procura e se luta, o Nosso código de Ética diz que temos que agir com excelência. Não há melhor recomendação que um companheiro ou companheira que seja exemplar em seu dia-a-dia, essa é a melhor carta de apresentação para a profissão.

Não se esqueçam de que não sois de divisores de dietas. Sois prescrição de consumo, de comportamento. Impulsáis um modelo de sociedade. O modelo de ética que quiser tem que estar em cada ação que façais.

Para terminar, efeméride: Hoje, em 1900 nascia Antoine de Saint-Exupéry, o autor do pequeno Príncipe, um livro que temos que ler, pelo menos, uma vez por ano. Recorro a duas citações desta obra de arte.

Lembrai-vos, que ninguém vos pode saber por vosso CV, pois o essencial é invisível para os olhos. E claro, não esqueçam de que “Caminhando em linha reta não pode chegar muito longe.” Não vendáis vossos valores. Ajude os outros. Fazei tudo o que está na vossa mão. Actuad com excelência

Mas acima de tudo fazei as coisas que eu vos encham, porque são as que dão sentido às nossas vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *