A juventude

O seguinte trecho corresponde à intervenção do ex-alunos da Licenciatura em Ciência e Tecnologia de Alimentos, da Faculdade de Farmácia, Universidade de Granada.

São recolhidos aqui apenas os parágrafos da mensagem, enquanto que o discurso pode ser lido na íntegra aqui, com todas as referências internas da carreira.

Hoje não há imagens que acompanham a entrada, o que importa são as palavras.

Quanto a nós, não nos confundamos, nós não somos a geração mais preparada da história, nós somos a juventude com mais títulos da história, que é diferente.
Mas são isso, papéis, não dão conhecimento.
Se queremos formar cidadãos úteis, há que incutir preocupações e não simples conceitos. Porque a juventude tem que criar, inventar, porque uma juventude que não cria é uma anomalia.

Além de ser um dia de festa, hoje é um dia de reflexão, pelo que é possível que todas as pessoas que estejam aqui vos vós as considereis o que o futuro nos reserva, e também o que vos vós as considereis que nos haveis ensinado ou o que aprendemos.

Pois aprendemos a construir, e à construção de uma forma muito diferente de como fazíamos há uma década. Ele convidou-nos para uma realidade que é explorado, e agora é a juventude, o que cria e aposta alternativas, nos vemos obrigados a empreender, porque as únicas portas abertas que nos encontramos são as do aeroporto.

Chegou-Se mesmo a dizer, que os jovens nós estamos indo do país por nosso espírito aventureiro.
-Que nada, ter espírito aventureiro é entrar na fila de secretariado em época de Matrícula.
[…] (Piadas internas)
-Não, não, ter espírito aventureiro é pipetear com a boca

Ei! E se você tem que pipetear com a boca… se pipetea, porque a juventude se adapta às circunstâncias, às adversidades.

Parte da juventude mostra que a cada dia, com sua sensibilidade frente às injustiças e nosso espírito inconformista, que faz com que nós não vamos nunca.

Chegou-Se a dizer “Trabalhar na UE não é trabalhar no estrangeiro”, dizem que trabalhar na Europa é trabalhar em casa. Mas a certeza de que a comida não vai saber mesmo…
-Bom, você sempre poderá testá-lo aos Domingos, total, vir de Berlim é um proximidades…

Além de nos adaptarmos, também aprendemos a participar, ou pelo menos a querer participar, o que nos deixam, ontem mesmo, foi informado do fechamento do Conselho da Juventude de Portugal, e isto unido à Reforma Educativa, no final, nos fazem acreditar que temos participado acima de nossas possibilidades.

O único ponto positivo que isso, é que de certeza que se da sala sai um futuro ministro ou ministra, você terá aprendido que a próxima vez que se faça um quadro educacional, gostaríamos que nos consultaran.

Nesta sala, também sairão docentes, e os que sejamos professores, vamos tendo aprendido a diferenciar o que é educação, EDUCAÇÃO COM letras MAIÚSCULAS, e nunca confundiremos o fato de ministrar uma aula com o que é educar. Um bom exemplo foram nossos padrinhos, que ultrapassaram sua função de docente para se tornar figuras a que aspiramos a ser algum dia. Obrigado pela vossa paixão, a confiança e o amor incondicional por nós.

A mesma paixão que mostram os professores que ensinam a partir da vocação, são os que realmente nos deixais impressão.
[…]
Não viemos aqui para ser amigos de todo o mundo, o importante é que nós levamos um punhado de pessoas que serão mais do que companheiros, pessoas que não esqueceremos nunca e têm muito o que falar ainda em nossas vidas.

Também aprendemos a valorizar a humildade e o carinho, porque as nossas famílias têm investido e apostado em nossa formação.

Obrigado por suportar nossas épocas de estudo e ter sempre palavras de apoio.
Conheceis de mão muito boa a luta, a entrega, os sacrifícios e todas as emoções pelas quais temos passado, e acreditamos que é a melhor oportunidade para agradecer por tudo o que fizestes por nós.
Nossos sucessos como filhos e filhas são dos vossos, como pais e mães.

E é que o melhor ensino é ter claro que não vale tudo, […] nós somos livres para ser qualquer coisa que quisermos.
Depende De nós que esta crise económica, política, social, não se transforme em uma crise de valores, que não acabe com a nossa ética, nossa moral, não com a nossa universidade, não com a de nossas famílias.

Nós queremos acordar hoje também de nossos colegas de Nutrição e Dietética, em um mundo onde a alimentação deixou de ser um direito para se tornar um negócio, os Tecnólogos de Alimentos, e os Nutricionistas-Nutricionistas temos muito o que dizer.

Pode ser que saiamos daqui sem lembrar-se de tudo, mas superar cada obstáculo nos fez melhores. Não melhores que outras pessoas, esse não é o objetivo, mas tentar ser das melhores versões de nós mesmos.

Discurso de Fim de curso CTA 2011-13 UGR

————–

Foto-reportagem da formatura

Parabéns aos alunos da Licenciatura em Farmácia, em especial por seu espetacular vídeo de formatura, e a Licenciatura em Ciência e Tecnologia de Alimentos. E, claro, para os estudantes de Nutrição Humana e Dietética que terão que esperar um ano para a formatura, pela mudança para a Categoria.

“Obrigado” por enmarronarme de novo nisso de falar.

Meus agradecimentos também a D. Ignacio Molina, vice-reitor da Universidade, que se intervenção se molhou bastante na denúncia da tendência a sofrer de uma “Universidade de aulas”, em especial indicando a eliminação da igualdade de oportunidades que estamos sofrendo.

Se você gostou compartilhe e divulgue!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *